cro

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

[Livro] A Carta de Uma Desconhecida, de Stefan Zweig


Título Original: Brief einer Unbekannten
Título em Português: A Carta de Uma Desconhecida
Série: --
Autor(a): Stefan Zweig
Editora: A Esfera dos Livros
Páginas: 63
Data de Publicação: 2008

buy the book from The Book Depository, free delivery
Sinopse:
Era o dia do seu quadragésimo aniversário e o conhecido romancista R. recebia, entre a habitual correspondência, uma misteriosa carta. Escrita à pressa, com letra de mulher, duas dúzias de páginas de uma confissão que começava assim: «Para ti que nunca me conheceste». Um relato dramático de uma mulher que ama, desesperadamente, um homem incapaz de amar alguém. Carta de uma Desconhecida é um dos mais aclamados livros de Stefan Zweig que traça um profundo retrato psicológico de uma mulher que amou sem ser amada. Uma relíquia literária onde o autor austríaco descreve com mestria os sentimentos humanos e o drama das suas contradições

Opinião:
Li este livro no âmbito de uma cadeira na faculdade, porque de outra forma nunca teria conhecimento da sua existência, e ainda bem.

Em Carta de Uma Desconhecida, de Stefan Zweig lemos, como o próprio nome indica, a carta de uma mulher, que não se identifica, ao homem que sempre amou e que nunca a conheceu. A relação não é assim tão distante como parece. Eles têm alguns contactos, mas ele nunca a reconhece nas poucas ocasiões em que se encontram. No entanto, ela nunca o deixa de amar.

Parece uma premissa estranha, mas Zweig completou a tarefa com mestria. Os sentimentos desta mulher estão tão visíveis nestas páginas que é impossível ficar indiferente. Esta mulher desconhecida transborda das páginas e deixa-nos com o coração nas mãos. Ficamos agarrados às suas palavras, mas tal como o destinatário da carta nunca sabemos o seu nome, nem como ela é. A mulher é as palavras, e unicamente as palavras escritas nesta carta.

É um livro intenso que toda a gente deveria ler e deixar-se perder dentro destas páginas.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.