cro

domingo, 22 de janeiro de 2017

[Book Box] Owlcrate Dezembro - Epic

 Ler em Português      Read in English



Hoje volto ao blog para falar (ou melhor, escrever) novamente sobre a OwlCrate, desta vez sobre a caixa do mês de Dezembro – que recebi como prenda de Natal. Já na minha publicação anterior referi que gostei imenso da caixa e esta não foi excepção. Eu sigo esta companhia praticamente desde que foi criada (já tem um ano!!) e sempre estive curiosa, porque é uma espécie de blind date with a book com bookish goodies como extras. Sabemos o tema, o que ajuda a decidir se vale a pena apostar na caixa ou não. Tendo em conta que alguns dos hints que foram dando me despertaram a curiosidade, decidi avançar. Inicialmente não estava a pensar comprar outra box, visto que os portes de envio para Portugal tornam a caixa extremamente cara, mas houve uma alma caridosa que sabe das minhas pancas e ajudou-me!

O tema da caixa de Dezembro era Epic e quem consegue resistir a isso quando dizem que o livro que viria no seu interior teria um romance LGBT? Eu sou fã desta empresa, que para mim é a Mãe de todas as Book Boxes, pois nota-se todo o carinho e dedicação que colocam em cada caixa. Esta foi maravilhosamente bem recheada de coisas boas!

(originalmente publicado em @theamazingwonderlust)


O que trazia esta OwlCrate?
👑 Uma caixa mistério Harry Potter da Funko - saiu-me a Hermione dentro das das 12 opções possíveis
👑 Um pin inspirado no Senhor dos Anéis feito por Jane Mount
👑 Bases para copos da Guerra dos Tronos da Dark House Comics
👑 Um postal lindo inspirado n’ As Crónicas de Narnia por Susanne Draws
👑 Um sticker com a citação "I'd rather die on an adventure than live standing still", do livro A Darker Shade of Magic feito por Miss Phi
👑 E por fim, o livro Of Fire and Stars, de Audrey Coulthurst

Desta vez não vou colocar fotos dedicadas a cada um dos goodies que vieram nesta caixa porque, apesar de já ter algumas tiradas, não quero encher a publicação e torná-la pesada por causa das imagens. De qualquer das formas, podem encontrar várias no meu instagram (@theamazingwonderlust) se tiverem curiosidade; fotos novas todos os dias. Ainda assim, vou falar de cada coisinha.

Caixa mistério Harry Potter da Funko: Como já disse saiu-me a Hermione. Eu estava a rezar para que me saísse ou a Hermione ou a Hedwig. Não que não gostasse de receber as outras personagens, mas essas duas eram as minhas preferidas entre as possíveis. Adorei e é a coisa mais fofa de sempre!

Pin inspirado no Senhor dos Anéis feito por Jane Mount: Vou dizer um sacrilégio para a comunidade literária – mas eu nunca li nenhum dos livros da saga Lord of the Rings ou sequer o Hobbit. Vi todos os filmes, mas eu sei que não é a mesma coisa. Estão, todos eles, na minha TBR, falta só mesmo arranjar os livros e começar a ler. Quanto ao pin: eu não uso este tipo de pins (ou crachás, até), mas achei-o super bonito e ainda estou a pensar como hei-de lhe dar alguma utilidade no futuro.

Bases para copos da Guerra dos Tronos da Dark House Comics: Outro sacrilégio, pois deve ser das poucas almas deste mundo que nunca viu, sequer, esta série. Não que não vá gostar (tenho quase a certeza que vou adorar), mas actualmente não tenho tempo para dedicar a uma série desta magnitude. Quanto aos livros também estão na minha TBR, mas o interesse não é assim tanto. Hei-de ler. Os coasters, por essa razão, ofereci a uma amiga minha que eu sei que adora a série e que iria gostar muito mais de os ter do que eu. Não cheguei a abrir a embalagem por isso só sei como são por fotos que vi no instagram. Bonitas, mas não me dizem nada.

Postal inspirado n’As Crónicas de Narnia por Susanne Draws: ADOREI! Adorei mesmo este postal e estou seriamente a pensar emoldura-lo para o exibir na minha estante. É tão lindo e perfeito; capta exactamente o ambiente de Nárnia.

Sticker com uma citação do livro A Darker Shade of Magic feito por Miss Phi: este livro faz parte da minha TBR desde que saiu, mas ainda não tive a oportunidade de o ler, ainda assim gostei imenso do sticker e, especialmente, da citação.

Of Fire and Stars, de Audrey Coulthurst: estou a actualmente a ler este livro, ainda que só tenha lido meia dúzia de páginas. Pelas críticas, as opiniões são bastante díspares. Há quem adore e outros que nem por isso. O que li não me permite ainda ter uma opinião positiva ou negativa, mas estou com grandes espectativas, especialmente por se tratar de um livro de fantasia com um romance LGBT. E a capa é linda!

E vocês, alguma vez subscreveram alguma book box? O que acharam desta caixa?!


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

[Filme] O Amigo Gigante, de Steven Spielberg

 Ler em Português      Read in English


Título em Português: O Amigo Gigante
Realização: Steven Spielberg
Argumento: Melissa Mathison, Roald Dahl (livro)
Elenco Principal: Mark Rylance, Ruby Barnhill, Penelope Wilton
Ano: 2016 | Duração: 1h57min
Sinopse:
Desde a trágica morte dos pais que Sophie (Ruby Barnhill) vive num orfanato administrado por uma governanta malvada. O seu coração é triste e solitário e ela sonha encontrar alguém a quem possa chamar família. Numa noite igual a tantas outras, encontra um gigante (Mark Rylance) de sete metros de altura que, apesar da sua aparência aterradora, possui um coração gentil, razão pela qual sempre foi ostracizado pelos da sua espécie. Ao compreender a solidão de Sophie, ele decide levá-la consigo para o seu país. Porém, naquele lugar perigoso, a menina tem de se manter longe dos olhares dos outros gigantes que, como todos sabemos, gostam de comer crianças. Os dois tornam-se amigos inseparáveis e, quando percebem que os outros planeiam assaltar as cidades para comer todas as crianças que as habitam, decidem que têm de fazer algo para o evitar…

Opinião:
O Amigo Gigante é um filme que parece mesmo saído do imaginário infantil. Não porque seja só para crianças, mas porque muitas vezes só elas conseguem criar mundos tão fantásticos.

E, para mim, isso foi a melhor parte d’O Amigo Gigante - o mundo mágico para onde nos transporta, não só um mundo de gigantes mas, mais importante que isso, um mundo de sonhos. Porque sabem o que o Amigo Gigante faz?


Quando Sophie é levada para a terra dos gigantes, percebe que o Amigo Gigante é praticamente um anão entre os outros gigantes. E ele leva-a ao sítio onde apanha sonhos.


Não é lindo?


Mas apanhar sonhos não é assim tão fácil, não acham?


Com os sonhos, o Amigo Gigante faz coisas maravilhosas, e eu adorei ver tudo o que se passava na terra dos gigantes e tudo o que ele mostrou à Sophie. Porquê? Porque parecia que estava tudo a ser feito para nós, que tudo o que ele mostrava era para nós – nós erámos a Sophie, com curiosidade e interesse naquele mundo mágico.


Apesar destes pontos positivos, achei que o fim do filme foi um bocado exagerado de mais, quase estapafúrdio. Não vou contar mais pois acho que estragaria o filme para quem o quiser ver.

Foi um filme agradável, que vale pelos efeitos especiais, e que tem uma história amorosa, mas pouco mais.



segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

[Livro] Fantastic Beasts and Where to Find Them: The Original Screenplay, de J.K. Rowling

 Ler em Português      Read in English


Título em Português: Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los: O Argumento Original do Filme
Série: --
Autor(a): J.K. Rowling
Editora: Little Brown Book Group
Páginas: 294
Data de Publicação: 19 Novembro 2016

buy the book from The Book Depository, free delivery
Sinopse:
J.K. Rowling's screenwriting debut is captured in this exciting hardcover edition of the Fantastic Beasts and Where to Find Them screenplay.

When Magizoologist Newt Scamander arrives in New York, he intends his stay to be just a brief stopover. However, when his magical case is misplaced and some of Newt's fantastic beasts escape, it spells trouble for everyone…

Fantastic Beasts and Where to Find Them marks the screenwriting debut of J.K. Rowling, author of the beloved and internationally bestselling Harry Potter books. Featuring a cast of remarkable characters, this is epic, adventure-packed storytelling at its very best.

Whether an existing fan or new to the wizarding world, this is a perfect addition to any reader's bookshelf.

Opinião:
Para aqueles que não me conhecem, fica aqui um pequeno pormenor: eu tenho formação em cinema, quer teórica quer prática, e o meu grande sonho é ser film editor. Por essa razão, uma das cadeiras que tive durante a minha licenciatura foi escrita de argumentos cinematográficos. Este livro, Fantastic Beasts and Where to Find Them: The Original Screenplay é mais uma adaptação do que o realmente um argumento deve ser. NUNCA, e digo mesmo NUNCA, um argumento cinematográfico (ou de qualquer produto visual para a TV) deve conter indicações de câmara, coisa que este livro tem, mas aqui faz sentido. Este livro não é o texto da produção do filme, não tem que deixar espaço para a liberdade criativa – e o seu trabalho normal – do realizador, mas sim para o leitor conseguir visualizar o que lê, e sentir-se dentro do filme. Por essa razão, muitos dos argumentos cinematográficos que estão publicados em livro contém este tipo de indicações, pois ajuda o leitor a focar nos pormenores importantes da cena e criar na sua mente o filme que está a ler.

Tendo isto dito, só tenho a dizer que J.K. Rowling é uma Rainha e foi tão mágico ler o argumento quanto foi ver o filme. Adorei o filme (como podem ver na minha crítica do filme aqui) e adorei agora ler este livro, pois a leitura do livro ajuda a perceber alguns pormenores, e nuances, que podem não estar tão expressas ou explicitas no filme. Qualquer Potterhead vai querer ter este livro na sua estante, não só porque é extraordinário, tendo em conta todo o universo Harry Potter, como porque é simplesmente dos livros mais bonitos que já vi. Sim, eu sei, não se deve julgar um livro pela capa, mas neste caso em particular, a capa corresponde perfeitamente à maravilha que tem entre as suas páginas.

Eu li em inglês porque não aguentei quando o vi com desconto o BookDepository, mas se têm dificuldade com esta língua, ou simplesmente preferem ter com a nossa língua mãe, a Editorial Presença já revelou a data de publicação de Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los: O Argumento Original do Filme em terras lusa – 02 Fevereiro 2017!


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

[A Magia do Amor] Qual a mais deliciosa?

 Ler em Português      Read in English



Capa mais deliciosa:Capa Original

Porquê?
Carla: Sinto-me ligeiramente dividida entre as duas capas. Primeiro, gosto que a capa portuguesa seja mais clara e mais suave que a original, no entanto, gosto mais dos tons (azul, roxo) desta última, pois são as minhas cores favoritas. Neste caso vou escolher a capa original porque acho que capta melhor a essência de alguns pormenores da estória

Joana: Gosto bastante das duas capas. Ao contrário da Carla, não li esta colecção e por isso não posso dizer qual se enquadra mais com a história. A capa portuguesa tem tons calmos e relaxantes, quase de fada pelo ar vaporoso da modelo. Já na capa original, o gato continua como símbolo da feiticeira, como na capa anterior. E as cores, para mim, estão mais associadas à magia. Acho que acabo por gostar mais da composição da capa original.


E vocês, qual a vossa favorita?



A Magia do Amor (Sugar Maple #2) (Carla)

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

[Livro] Um Desejo Inevitável, de Lorraine Heath

 Ler em Português      Read in English


Título em Português:Um desejo inevitável
Série:Scandalous Gentlemen of St. James #2
Autor(a): Lorraine Heath
Editora: Topseller
Páginas: 336
Data de Publicação: 14 de Novembro de 2016

buy the book from The Book Depository, free delivery
Sinopse:
Nascido nas ruas mas educado na aristocracia, Drake Darling não consegue fugir das suas origens humildes, sobretudo porque Lady Ophelia Lyttleton lhas relembra constantemente. Para ela, Darling nunca será um verdadeiro nobre. Até ao dia em que Darling salva Lady Ophelia de se afogar nas águas do Tamisa e descobre que ela sofre de uma inexplicável perda de memória. Aproveitando essa oportunidade, ele decide castigar Lady Ophelia, convencendo-a de que ela é sua criada Contudo, enquanto brinca a este malicioso jogo, Darling fica inevitavelmente rendido ao charme de Lady Ophelia. Ophelia parece corresponder aos seus sentimentos, mas está inquieta. Sente que algo na história dele não bate certo. E quando recupera finalmente a memória, fica devastada e aterrorizada com a traição de Darling. Agora, ele terá de provar que merece a confiança dela para reconquistar o seu coração.
Poderá a paixão ser mais forte que o preconceito?


Opinião:
Gostei bastante deste livro, apesar de achar que esta crítica é capaz de não o transmitir por completo.

Ophelia e Drake têm uma relação estranha. Ela, por razões próprias, sente uma imensa necessidade de se mostrar superior a ele, um homem que veio da pobreza e que ela considera “sujo”. Ela é altiva e mesquinha com ele, o oposto de como é com a irmã adoptiva de Drake e a sua melhor amiga, Grace. Isto acaba por enervar Drake pois não percebe o porquê de ela se comportar assim com ele.

Ao encontrá-la perdida e sem memória, Drake vê uma oportunidade a formar-se: ele irá forçar Ophelia a perceber que não é melhor que ele. Como? Fazendo com que ela seja sua criada durante um dia...não, dois dias...não, mais do que isso. O que começa como uma situação curta acaba por ser prolongado à medida que Drake percebe como é a verdadeiro Ophelia e que a atracção entre os dois cresce.

Não gostei da ideia de Drake fazer de Ophelia sua criada e tentar impor-lhe memórias de momentos de criadagem, quando tudo o que ela se lembrava era de como uma senhora se comportava. Ela está completamente dependente dele e ele “usou-a” nesse sentido, ao contar-lhe mentiras. Mas ao mesmo tempo cuidou dela e aproximou-se o suficiente para os dois perceberem que gostavam mais um do outro do que poderiam pensar.

Para mim, Ophelia perdoa-o com demasiada facilidade – o que é que isso diz de mim?

Apesar disto, gostei bastante do livro, das relações de amizade e amor que foram sendo criadas, da consciencialização de Ophelia ao perceber que o mundo não era só preto e branco e que um criado pode ser um amigo querido que nada tem a ver com a sua posição social e que um nobre pode ser muito pior que o rato que vive na sarjeta (para não dizer pior).

Drake aproveitou-se tempo de mais da mentira criada-senhora, mas mesmo assim gostei minimamente dele. De Ophelia, gostei de quando ela perdeu a memória e tinha aquela inocência quase infantil, de um mundo novo e que tudo lhe parecia possível – a ingenuidade da Ophelia sem memória era muito melhor que altivez da Lady Ophelia. Mas, mesmo assim, direi que consigo compreender o porquê de ela agir como age, na maioria das vezes.

Resumindo, foi um livro que li em pouco tempo e de que gostei, apesar dos pontos que apresentei. Vou continuar a série, sem sombra de dúvida.