cro

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

[Filme] O jogo da imitação, de Morten Tyldum


Título Original: The imitation game
Título em Português: O jogo da imitação
Realização: Morten Tyldum
Argumento: Andrew Hodges (livro), Graham Moore (screenplay)
Elenco Principal: Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode
Ano: 2014 | Duração: 114 min

Sinopse:
Durante o inverno de 1952, as autoridades britânicas entraram na casa do matemático, criptoanalista e herói de guerra Alan Turing (Benedict Cumberbatch) para investigar um assalto. Em vez disso, prenderam Turing por ‘atentado ao pudor’, uma acusação que levaria à sua devastadora sentença pela ofensa criminal de homossexualidade – mal sabiam as autoridades que estavam a incriminar o pioneiro da computação moderna. Na liderança de um grupo de académicos, linguistas, campeões de xadrez e analistas, Turing foi reconhecido por quebrar o até aí indecifrável código da Enigma, a máquina utilizada pelos alemães na 2ª Guerra Mundial. Um retrato intenso e memorável de um homem brilhante e complicado, “O Jogo da Imitação” relata a história de um génio que sob extrema pressão ajudou a encurtar a guerra e, consequentemente, salvou milhares de vidas.

Opinião:

Devo começar por dizer que sou uma enorme fã de Benedict Cumberbatch, o actor principal do filme The Imitation Game. Este filme conta-nos a história do génio matemático Alan Turing.

Com uma performance fantástica do elenco de luxo presente no filme, uma banda sonora que o acompanha sem se sobrepor, a história da máquina que quebrou o código das missivas alemãs utilizadas na II Guerra Mundial é-nos apresentada como algo impossível, ou assim pensava quase todo o mundo. Quase.

Bastou uma pessoa acreditar no impossível para o tornar real, com um enorme esforço. O que mais gostei neste filme foi que mostrou que, por mais obstáculos que se apresentem no nosso caminho, se acreditarmos no nosso objectivo e fizermos tudo o que conseguirmos para o concretizar, conseguimos resultados.

Numa altura em que ser homosexual na Grã-Bretanha era crime, Alan Turing acabou por ser condenado por “atentado ao pudor”, mesmo sendo considerado praticamente um herói de guerra (que ninguém conhecia pois só cerca de 50 anos depois do fim da guerra é que se soube que a máquina Enigma foi descodificada).

Foi um filme fantástico sobre a vida de Alan Turing ( e não só) durante a II Guerra Mundial, que me manteve com a lágrima no canto do olho em várias situações - este filme toca-nos profundamente pelas escolhas difícies que mostra.

Deixo-vos com uma pergunta, que pode parecer simples à primeira vista, mas sei que se estivéssemos nessa situação acredito que ficaríamos com o coração apertado: se fosses tu, escolhias salvar o navio onde estava o teu/a pai/mãe/irmão/irmã/filho/filha e 500 outras pessoas ou deixavas essas pessoas morrer se soubesses que salvarias milhares ou até milhões no seu lugar?



~ Podem aceder à review da Carla aqui. ~

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.