cro

sexta-feira, 13 de março de 2015

[Filme] O Segundo Exótico Hotel Marigold, de John Madden


Título Original: The Second Best Marigold Hotel
Título em Português: O Segundo Exótico Hotel Marigold
Realização: John Madden
Argumento: Ol Parker (screenplay)
Elenco Principal: Judi Dench, Maggie Smith, Bill Nighy, Richard Gere
Ano: 2015 | Duração: 122min

Sinopse:
O Segundo Exótico Hotel Marigold é a expansão do sonho de Sonny (Dev Patel) que, desta vez, está a ocupar-lhe mais tempo do que ele tem disponível, tendo em conta que está prestes a casar com o amor da sua vida, Sunaina (Tina Desai). Sonny está de olho numa promissora propriedade agora que a sua primeira aventura, o Exótico Hotel Marigold para pessoas idosas e bonitas, tem apenas um quarto disponível, o que o coloca num dilema visto que estão para chegar mais dois hóspedes: Guy (Richard Gere) e Lavinia (Tamsin Greig).

Evelyn e Douglas (Judi Dench e Bill Nighy) juntam-se agora à força de trabalho de Jaipur e questionam-se onde os levará os seus encontros regulares para comer panquecas, enquanto Norman e Carol (Ronald Pickup e Diana Hardcastle) negoceiam as traiçoeiras condições de um relacionamento exclusivo e Madge (Celia Imrie) lida em simultâneo com dois candidatos muito ricos e grandes pretendentes.

Talvez o único que saiba a resposta seja a recém instalada co-gerente do hotel, Muriel (Maggie Smith), a guardiã dos segredos de todos. Enquanto as exigências de um casamento tradicional indiano ameaçam subjugar todos, uma inesperada solução apresenta-se diante deles.

Opinião:
Não sei se viram o primeiro filme (The best exotic marigold hotel), mas enquanto esse era baseado no livro com o mesmo título (ainda que o original seja These Foolish Things), de Deborah Moggach, este segundo filme não era adaptação de nenhum livro mas antes uma continuação das histórias das personagens apresentadas nos livros.

Enquanto que o primeiro filme nos leva a pensar mais na questão das decisões de vida, este interessa-se muito em fazer os pares românticos que ficaram por unir no primeiro filme, ou cujo final foi mais deixado em aberto – o que eu tinha gostado.

Continua a pegar em questões de mortalidade e da alegria da vida, como o primeiro filme, mas junta os problemas e ciúmes de um trio romântico, fazendo deste filme uma comédia romântica (que deu para rir mesmo várias vezes!) que mantém momentos de tensão.

Com uma banda sonora muito agradável, gostei particularmente da dança de casamento de Sonny e Sunaina, música indiana muito divertida, mexida e que verdadeiramente dava vontade de dançar no meio da sala.

As cores deste filme levam-nos verdadeiramente à Índia e eu, que gosto de moda, adoro as roupas de todas as mulheres, qual a mais bonita.

Com um elenco de luxo, todos estes famosos actores deixam-nos constantemente fascinados com as suas performances, com a forma como transmitem as emoções e preocupações das suas personagens, de uma maneira que nos liga à história de cada hóspede do hotel e à história do próprio hotel quase como uma entidade por si só, que tem como função proteger todas aquelas pessoas que decidiram passar os anos finais da sua vida num hotel longe daquilo que conheciam e aí formaram ligações tão ou mais fortes que as que tinham, como Guy Chambers (Richard Gere) diz numa certa altura do filme, e parafraseando, o hotel Marigold precisa de ser melhorado, assim como a sua gerência, mas o amor e carinho que cada um dos seus hóspedes tem pela família que o gere é mais que suficiente para que se queira voltar e ficar.

Devo dizer que foi muito difícil dar uma avaliação a este filme pois estava indecisa entre as 3.5 e as 4, pois de cada vez que relia a minha crítica sentia que merecia o 4, contudo, a minha cabeça que viu o filme e se liga mais a ele que a um texto, acha que dar 4 é demasiado. Por isso, fico-me pelas 3.5 pois não chega às 4 pepitas, com pena.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.